sexta-feira, 16 de março de 2012

O Pacto


"Homem real joga" (Simon)


Ao longo dos últimos anos, com raríssimas exceções, a crítica especializada e não especializada (como este blog aqui) acostumou se a “descer o sarrafo” em Nicolas Cage, claro, com toda a razão, tendo em vista a baixa qualidade de seus trabalhos. Em relação a este último não tem sido diferente, pelo menos a maioria dos críticos assim tem feito, porém resolvi mudar um pouco o discurso.

Inicialmente relutante em dedicar duas preciosas horas de lazer a mais um duvidoso filme de Cage, pensei duas vezes antes de comprar o ingresso, assim mesmo arrisquei, porém, auto- comprometido em ser benevolente com o ator que rende bons quadros ao bom programa Saturday Night Live (Canal Sony da TV a cabo). Assim, não iria me ater aos furos de roteiro, a fraca interpretação de Cage, e principalmente de January Jones, muito menos pensaria que esta é uma trama muito comum (e qual não é?) nos filmes atuais. E por fim seria generoso na avaliação da obra final.

Antes de tudo vamos a trama: Will Gerard (Nicolas Cage) é um pacato professor de escola pública norte-americana, aquelas em que, pelo menos nos filmes, são retratadas como o purgatório, só melhor do que a cadeia, que é o inferno. Aquelas mesmas em que só latinos e negros freqüentam. Gerard é casado e vive feliz com a musicista Laura (January Jones), até o dia em que ela foi atacada na rua e terminou gravemente feriada em um hospital. É neste instante que Simon (Guy Pearce) surge com uma proposta sedutora: matar o homem que teria atacado sua esposa. Sem o objetivo de entregar o filme – pelo menos não tanto quanto o trailer – diria que independente da decisão do pacífico professor, Simon não seria alguém que eu gostaria de ter na minha lista de amigos, nem na quase indiferente lista de amigos do facebook. 

Assim, considerando todos os elementos avaliativos destacados no segundo parágrafo, e ainda a séria opinião daquela maravilhosa companhia nesta agradável sessão de cinema, eu diria que sim: dê um crédito a Cage, pelo menos desta vez. Este longa supera e muito a brincadeira de mal gosto com o Motoqueiro Fantasma e Motoqueiro Fantasma 2, se bem que ser melhor do que estes dois filmes não é mérito, e sim, obrigação. O fato é que este é um filme regular, tem basicamente tudo o que esperamos em um simples longa de ação e suspense, inclusive os furos de roteiro. Aliás, talvez devessem ter reduzido um pouco o tempo, pois fica nítida a intenção em algumas cenas de simplesmente fazer o tempo passar. Sejamos bonzinhos, mas cento e cinco minutos para este filme é demais em Cage?

Mas vale uma observação, existe uma grande parcela de apreciadores de filmes que adoram o trabalho de Nicolas Cage, independentemente do que bradam os críticos. Assim, especialmente para estes fãs: corram aos cinemas!


Título original: (Seeking Justice)
Lançamento: 2012 (Estados Unidos)
Direção: Roger Donaldson
Atores: Nicolas Cage , Guy Pearce , January Jones, Harold Perrineau, Jennifer Carpenter , Xander Berkeley , Jason Davis
Duração: 105 min
Gênero: Ação

19 comentários:

  1. Não gosto do trabalho de Nicolas Cage, fora Despedida em Las Vegas......mas, o resultado de Motoqueiro Fantasma 2 é imperdoável....inaceitável e inigualável. kkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Queria ver se sua mulhar fosse estrupada, abusada,um objeto na mão de um porquera, sem amor, se ele acabasse com ela. E ai responde.
      O homem real joga

      Excluir
  2. O filme é ruim, não é terrível...mas não diria que conseguiu ser melhor que motoqueiro fantasma 2....Certas coisas são absolutamente inexplicáveis e surreais para a historia dos personagens...além do desfecho moral duvidoso.
    Acho exagero dizer que Nic não faz algo bom há muito tempo. O que acontece é que faz parte do projeto de Nic participar de "todos os filmes feitos até então!" (parodiando na "Gaiola com Cage" do SNL), fazendo muiiitos filmes, vc eventualmente faz coisas ruins. Em 2010, mesmo ele presenteou seus fãs (aos quais eu me incluiu desde "Asas da liberdade.") com Kick Ass - Quebrando Tudo, um delicioso filme baseado em quadrinhos, com uma interpretação legal do superpai. Em 2009 temos um interessante "PRESSÁGIO"....e não podemos esquecer que em 2005 ele participou com interpretações dignas em dois bons filmes: O SOL DE CADA MANHÃ, e o O senhor das Armas. Se vc pegar a filmografia de Cage de 2005 para cá, são basicamente 3 filmes por ANO...(EM 2011 ELE FEZ 4 FILMES)!!!! Como escolher, atuar dignamente com essa frenética correria??
    DIFÍCIL!! Mas Cage as vezes ainda consegue, como nos filmes citados acima. Em suma: Adoro Nic Cage...um dos meus atores favoritos, mas nem por isso deixaria de observar um roteiro ruim...o que nos move em um ator bom como esse (graças a deus p ele) é que ainda nos motiva a ir ao cinema, pq quem sabe, poderemos ver um bom filme. Mas sabe,as vezes é melhor ser muito ruim, que quase vira trash como Motoqueiro Fantasma 2 e gerar bons risos...do que me fazer dormir!!

    ResponderExcluir
  3. Não faço parte desta multidão que odeia Cage. Analisando rapidamente toda sua carreira, ele fez bons filmes como o citado "Despedida em Las Vegas", "A Rocha" e "Con Air" por exemplo, lógico que em meio a vários filmes ruins.

    Este "O Pacto" não chega a ser ruim, mesmo tendo um climax forçado, o desenrolar da trama prende a atenção.

    O filme é divertido para quem não criar uma grande expectativa.

    Abraço

    ResponderExcluir
  4. Críticas, críticas, críticas... é isso que vocês fazem.. aliás, querido autor do blog, você faz algum filme? é ator? tem fama? porque o Cage tá cagando dinheiro, assim como Eddie Murphy, que vocês gostam tanto de desmerecer os trabalhos.
    De forma geral, críticos (de filmes, principalmente) nada mais são do que babacas tentando aparecer e mostrar que sabem tudo e são superiores aos fãs ou apreciadores de certa obra (seja música, pinturas, filmes).
    Todo mundo só sabe meter pau nos trabalhos, é sempre assim, um imbecil aqui, outro ali...
    Mas nós também conhecemos, saibam que textos como este não interferem e não mudam gosto e opinião de quase ninguém. Ninguém se ilude com essas críticas, é tolice.
    Deveria sim, se chamar opinião.. e não julgamento de "bom" ou "ruim".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo em gênero, número e grau!
      O Homem Real Joga!!!

      Excluir
  5. Felipe, calma. Parece que vc é um fã mesmo do Cage, eu também sou. Gosto dos seus trabalhos, com exceção destes últimos, acredito que não valem quase nada.

    Em relação aos seus questionamentos: E daí se fiz filme ou escrevi, ou pior, se tenho fama ou não. Qual a relação disto com os comentários? Se o Cage tem dinheiro ou não, se tem dívida ou não, não é problema meu, porém, se ele se compromete a fazer um filme e exibir, logo está sukjeito a crítica e elogios. E sempre que eu acreditar que foi um filme fraco, sempre vou dizer, ou escrever.

    Parece que sua referência para filme bom ou ruim é bastante diferente da minha, assim como sua habilidade para o debate ou argumentação. Estamos em espaços diferentes. Enquanto isso vou continuar escrevendo comentários, críticas, elogios,ou seja lá o que for. Felizmente a liberdade impera na net, aqui somos livres para ler ou não.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fstástica resposta!!

      Excluir
    2. Na verdade, críticos não passam de imbecis frustrados e invejosos, que levam a vida metendo o pau e descarregando suas mágoas no sucesso alheio...
      Bastardos!

      Excluir
  6. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  7. nem todo filme é 100% tem alguns desfecho do filme que podia ser diferente. mais o ator Cage é excelente, mesmo o filme não tendo um roteiro muito bom, gostei desse filme , o filme é em fatos reais, porque

    HOMEM REAL JOGA

    ResponderExcluir
  8. Francis trouxe um complemento ao excelente texto redigido por Marcos Rosa (ao que se refere a Cage e suas atuações).
    Críticos em geral são como juízes, apesar de deverem ser neutros trazem (para o bem ou não) o ranço de sua individualidade, sempre demonstrando sua crítica agregada a uma opinião já formada.
    O que Marcos faz aqui não é diferente, porém nos traz uma crítica leve, interessante e muito, mas muito menos ponposa do que a visão de Felipe em relação aos críticos.... o que Marcos claramente faz aqui é relatar sua visão como mero espectador, algo que fazemos sentados com os amigos durante uma breve conversa sobre o filme que acabamos de assistir.
    Ora, a "crítica" de Marcos no fim é uma questão de opinião não diferente da apresentada por todos aqueles que lêem o blog e deixam seus comentários nele.

    ResponderExcluir
  9. Aliás Marcos Rosa, o homem real joga!

    ResponderExcluir
  10. Cage sempre foi e sempre será um ponto positivo em qualquer filme gostei muito de motoqueiro fantasma 1,2 e sabem porque vocês não gostaram do filme O pacto porque vocês já foram assistir dizendo para se mesmo que o filme não presta e a proposito, ... O homem real joga!!!

    ResponderExcluir
  11. so tenho uma coisa a dizer O HOMEM REAL JOGA

    ResponderExcluir
  12. Eu assisti esse filme duas vezes e cada uma a senha era diferente uma dizia o coelho com fome pula e a outra versão dizia o homem real joga,porque existe duas versões?

    ResponderExcluir
  13. Pfff, o blogueiro fez um texto muito ralo, citou algumas coisas e não falou sobre. Fala melhor sobre os tais furos no roteiro e o que de ruim teve na atuação dos atores. Muito simplório essa resenha

    ResponderExcluir

Gostou? Não gostou? Já assistiu o filme? E o que achou? Comente!