sábado, 19 de março de 2011

O Vencedor

-Ninguém tem tanta garra quanto você. É um lutador talentoso. Quero te dar uma chance. Tente uma última vez antes que seja tarde demais. (empresário)
-E meu irmão? Ele me ensinou tudo o que sei. (Micky Ward)
-Com todo respeito, ele é encrenca. (empresário)


Este filme consegue rechear a vida dos seus principais personagens; os lutadores Micky Ward (Mark Wahlberg) e Dicky Ecklund (Christian Bale) de elementos tão dramáticos que o telespectador não consegue deixar de admirar os caminhos e escolhas de cada um deles.  Por exemplo, a família com aquela estrutura diferente da que imaginamos e concebemos como mais próximo da ideal, por mais que esta concepção de ideal não passe de uma construção sócio-histórica. É desta família “desestruturada” que Micky Ward tem raiva, mas também tem amor. A mesma família que idolatra e faz vistas grosas para o vício de Dicky Ecklund. Todos sabem que ele é viciado em crack, sabem em que local ele se droga, mas não sabem, ou não querem enfrentar o problema. Aliás, este é um problema que Ecklund irá enfrentar sozinho. Ainda é perceptível  aquele elemento também presente em O Discurso do Rei e em Cisne Negro: a persistência, a vontade de vencer, a superação. Evidentemente que um filme que conta a vida de um lutador de boxe não poderia deixar de ter este ingrediente, esta garra que é tão bem apresentada e retratada pelas telonas do cinema. 

É em torno destes dois irmãos que gira a trama: um ex-lutador,  Dicky Ecklund (Christian Bale), já foi famoso ao disputar o titulo mundial, mas as drogas destruíram sua carreira, apesar dele e a família não reconhecerem seu declínio. Já Micky Ward (Mark Wahlberg), que aprendeu tudo que sabe sobre boxe com o irmão mais velho, é empresariado pela mãe, mas sempre está em segundo plano, pois a família ainda sonha com o retorno de Ecklound ao mundo dos boxes. Assim, Ward precisa resolver o seguinte dilema: estar coma família e viver a sombra do irmão ou se distanciar e tentar fazer sua carreira crescer? 

Um filme repleto de boas interpretações e enredo: famílias conturbadas, violência, drogas, derrotas, vitórias, amor, superação. Christian Bale mostrando porque é um dos melhores atores de Hollywood da atualidade, fazendo por merecer o Oscar de Melhor Ator Coadjuvante. E, como é típico dos filmes sobre boxe, a emoção maior está no final, quando no auge da luta os golpes são mostrados em câmera lenta encantando o telespectador, fazendo o desviar dos cruzados ou então sentir no rosto aquele direto de esquerda que invadiu a guarda do adversário. Enfim, uma bela história, ótimas interpretações e de quebra ainda nos trazem a lembrança os filmes de Sylvester Stallone (Rocky), ou então, as memoráveis lutas transmitidas pela Globo nas madrugadas de sábado na distante década de noventa.
Título original: (The Fighter)
Lançamento: 2010 (EUA)
Direção: David O. Russell
Atores: Mark Wahlberg, Christian Bale , Amy Adams, Melissa Leo.
Duração: 114 min.
Gênero: Drama

2 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Estou ansiosa pra assistir esse filme, adorei quando vi o trailler... mas, não consegui pegar ele em cartaz, por causa do meu tempo curto... mas, vou procurá-lo sim!
    Obrigada pelo resumo aqui! Deu mais vontade de assistir.
    Abração!

    ResponderExcluir

Gostou? Não gostou? Já assistiu o filme? E o que achou? Comente!