segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Enrolados

As últimas animações que surgiram nas salas de cinema não tem decepcionado( A Lenda dos Guardiões, Megamente, Meu Malvado Favorito,  a exceção foi Garfield – Um Super Herói Animal). Ainda assim, estava com receio de encarar o conto de fadas da Rapunzel segundo a Disney. Porém, a animação superou as expectativas, é bastante divertido, um ótimo programa para adultos e a criançada.

Antes de entrarmos no enredo em si, que não é novidade para a grande maioria. Mergulharemos um pouco no mundo de Rapunzel e traremos alguns elementos que merecem alguns breves comentários, por exemplo: A Mãe Raptora na tentativa de convencer Rapunzel a não sair da torre, a qual vive encarcerada desde criança, apresenta-lhes inúmeros argumentos, em sua maioria baseados na propaganda negativa do mundo externo (violência, pessoas perigosas, etc.), ou apontando lhes uma inexistente falta de habilidade para se defender e agir em situações críticas. (A música Sua Mãe Sabe mais foi exemplar). Ou seja, uma super proteção quase doentia, que tende a tolher não apenas a liberdade, mais o desenvolvimento saudável de qualquer pessoa. E, infelizmente, não é raro encontrarmos no mundo real pais que reproduzam comportamentos semelhantes, confundindo super proteção com amor, afogando os filhos no mar de baixa estima, receios, medo de desafios, de novidades, dependência. 

A outra situação é a própria condição da Rapunzel e suas madeixas mágicas que não lhe serviam para nada, apenas serviam aos outros: seu poder rejuvenescedor tão bem utilizado por sua Mãe Raptora, que na verdade, era a causa do seu cárcere naquela Torre, pois sem cabelos mágicos, não haveria prisão. Esta servidão de Rapunzel me fez lembrar a infeliz frase que é atribuída por muitos a M. Gandhi: “Quem não vive para servir, não serve para viver”. Ou seja, a existência da jovem estaria fundada única e exclusivamente na servidão, em oferecer o poder de seus cabelos, sua liberdade, sua vida. Será que quem não serve deveria então receber a morte como recompensa?  Mas e quando o príncipe abdica de sua vida em prol de Rapunzel não seria um ato de servidão? Não, seria um ato de amor, de amor espontâneo, que lhe traria alegria, e não uma obrigação, uma fonte de sofrimento. 

Antes que eu entregue o doce, saiba que você irá se divertir com um camaleão de estimação muito tirado, um cavalo mais esperto que seus cavaleiros, uma turma do barulho que encena um musical imperdível na terrível taberna do Coelhinho Fofo, sem mencionar o príncipe metido a galã chamado José Bezerra. A parte sem graça é Luciano Hulck dublando o príncipe, ás vezes pensei estar assistindo o Caldeirão do Hulck.



Título original: (Tangled)
Lançamento: 2010 (EUA)
Direção:Nathan Greno, Byron Howard
Atores: Mandy Moore, Sylvia Salustti, Zachary Levi, Luciano Huck. (versão legendada)
Duração: 92 min
Gênero: Animação

6 comentários:

  1. EStou seguindo o blog , segue o meu tbm ?
    Devo confessar que ultimamente num tenho assistido muito filme .

    www.jogandonaparede.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. AMO DESENHOS *-------------*
    te sigo =*

    ResponderExcluir
  3. Oi Marcos!




    Então meu livro ainda vai demorar muito para poder publicá-lo, isso é se eu conseguir. Tenho um rascunho e muitas idéias na cabeça mas é preciso tempo e dedicação! Y]Também aprecio história modernaaté porque existe muitas teorias conspiratórias no meio delas. Tipo a Revolução Francesa e a maçonaria.

    www.empadinhafrita.blogspot.com


    Sobre o filme..fiquei muito interessada em Enrolados..até porque recentemente os desenhos estão com um humor bem afiado.

    ResponderExcluir
  4. Alan e Nathália, obrigado pelas visitas, que já foram retribuídas!
    Valeu

    Tsu, pode até demorar, mas um dia sai! A Rev. francesa é minha preferida, principalmente pelo seu legado.

    ResponderExcluir
  5. José Bezerra não é um príncipe...é um ladrão...muito gatooo!
    E Luciano Huck tb é terrível como dublador, parece que só sabe fazer filho bonito...aliás, a beleza vem da mãe!
    O camaleão é mesmo muito fofo: Pascal é uma gracinha...assassina! Procuro uma madrasta gentil!!! O filme é bem maneiro e oferece boas gargalhadas, parece que a velha formula da Disney animações ainda funciona: casal bonitinho e aparentemente improvável, um vilão com motivos sombrios (afinal, o que diabos faz tanto a madrasta da Rapunzel pela floresta???), animaizinhos simpáticos e engraçados, canções animadas...e claro: a mensagem de esperança, sonho e liberdade de que você só precisa descobrir o que se é e o que se quer para ser feliz! O resto o destino ou acaso te ajudam!!

    ResponderExcluir
  6. É Francis, o José bezerra se tornará principe, mas começa como ladrão, voc~e tem razão mesmo. E viva as animações da Disney, um dos melhores tratamentos ao estado depressivo! rsrsrs

    ResponderExcluir

Gostou? Não gostou? Já assistiu o filme? E o que achou? Comente!